Don't LAI to me

Fonte: WikiLAI
Revisão em 21h52min de 15 de setembro de 2021 por Fiquemsabendo (discussão | contribs) (imagem redimensionada)
(dif) ← Revisão anterior | Revisão atual (dif) | Revisão seguinte → (dif)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Newsletter quinzenal foi lançada em 2019. Cadastre-se para receber

Don't LAI to me[1] é a newsletter quinzenal da Fiquem Sabendo, e foi a primeira newsletter do Brasil sobre a Lei de Acesso à Informação (LAI). Lançada em 21 de janeiro de 2019, a newsletter divulga bases de dados, tutoriais, artigos e reportagens sobre acesso à informação ou baseadas em dados obtidos via LAI. O serviço é quinzenal, de distribuição gratuita e tem como objetivo criar uma rede para fomentar a transparência pública e o controle social. Em 2021, a newsletter já alcançava mais de 6 mil assinantes. Para se inscrever, é preciso preencher um formulário[2]. É possível consultar o históricos da edições no site[3].

História

A primeira edição da Don’t LAI to me destacou um documento produzido pelo então recém empossado presidente da República, Jair Bolsonaro, quando este ainda era deputado federal, alertando a Anatel sobre falsas contas de celular em seu nome[4]. O ofício era público desde agosto de 2018, porque foi solicitado por um cidadão através de um pedido de informação com base na LAI. Desde então, apesar de estar disponível na base de pedidos e respostas[5] da Controladoria-Geral da União (CGU), nunca foi divulgado.

A newsletter leva às caixas de entrada dos assinantes informações inéditas descobertas pela equipe, além de servir como um guia prático da LAI, com sugestões para fazer pedidos mais assertivos e obter respostas mais completas, combinado com uma curadoria de reportagens de impacto feitas a partir das ferramentas de transparência, além de denúncias de violações da LAI.

Nova fase

O lançamento da newsletter Don’t LAI to me marca o início da nova fase da Fiquem Sabendo. Criada em 2015 pelo jornalista Léo Arcoverde[6], a iniciativa tinha como objetivo ser um portal de notícias independente. Até 2019, mais de 500 reportagens haviam sido elaboradas pela equipe com base em dados inéditos obtidos via LAI. Ao lançar a newsletter, contando com quatro jornalistas, concretizou-se a associação sem fins lucrativos Fiquem Sabendo, estruturada como agência de dados especializada na LAI.

Também em 2019, Maria Vitória Ramos, hoje diretora da Fiquem Sabendo, levou o projeto para 2ª edição do acelerador New Ventures Lab[7], com duração de 20 semanas. Promovido pela comunidade global Chicas Poderosas[8], a iniciativa tem como objetivo dar suporte e capacitação para startups de mídia lideradas por mulheres. Foi nesse período que a Fiquem Sabendo se firmou como uma agência de dados independente especializada no uso da Lei de Acesso à Informação, tendo como missão ser uma ponte entre quem precisa da informação e as ferramentas para obtê-la. Como associação sem fins lucrativos, seu objetivo é democratizar o uso da LAI e promover o engajamento de cidadãos, jornalistas e pesquisadores no controle do poder público.

A agência acredita que uma sociedade democrática não funciona adequadamente sem uma base sólida de informações oficiais confiáveis e objetivas. Dessa forma, a divulgação do seu conteúdo é livre através da licença Creative Commons,  “Atribuição CC BY”. Além disso, ativamente publica todos os dados obtidos via LAI em planilha aberta digital, para que outras instituições da sociedade civil e do próprio poder público também possam fazer uso dos dados[9].

Em apenas um ano na nova formatação, a Fiquem Sabendo forneceu matéria-prima para mais de 2 mil reportagens em jornais impressos, online, TV aberta e paga – fortalecendo o jornalismo local e pautando a grande mídia com reportagens no Estadão, O Globo, BBC, Folha, UOL, Época, Gazeta do Povo, HBO, e outros[10]. A agência atua ou já atuou com parceiros como Yahoo Brasil, Transparência Brasil, Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e International Center for Journalists (ICFJ) para desenvolver projetos de divulgação de dados inéditos ou promoção de conteúdo sobre transparência no setor público. Reconhecidos pela Controladoria-Geral da União (CGU), a Fiquem Sabendo integra o grupo de trabalho que orienta a construção da nova Política Nacional de Dados Abertos do Governo Federal.

Don't LAI to me venceu o prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados em 2019 (Fonte: Arquivo/Fiquem Sabendo)

Prêmios

A newsletter Don’t LAI to Me venceu o prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados[11], primeiro lugar na categoria Dados Abertos, e foi segundo lugar no Prêmio Jornalismo-Mosca do Livre.Jor[12], ambos em 2019. No ano seguinte, com o caso das pensões, ficou em primeiro lugar no Prêmio Jornalismo-Mosca[13], foi finalista na categoria Dados Abertos do Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados 2020[14], concedido pela Escola de Dados (Open Knowledge Brasil) em parceria com a Abraji e a Transparência Brasil, e foi ainda finalista do Sigma Awards 2020[15], principal premiação internacional em jornalismo de dados.

Veja também

Referências externas

Encontrou um erro ou sentiu falta de uma alguma informação neste verbete? Escreva para [email protected]

Usamos a licença “Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)", que permite a republicação/adaptação, inclusive para fins comerciais, desde que seja citado o crédito para a WikiLAI, com link para a publicação original. Saiba mais em WikiLAI:Sobre
Apoie a Fiquem Sabendo em catarse.me/fiquemsabendo e receba recompensas, ou faça um PIX para 32.344.117/0001-89 (CNPJ)