Documento preparatório

Fonte: WikiLAI
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Documento preparatório é um documento formal utilizado como fundamento para a tomada de decisão no poder público, a exemplo de pareceres e notas técnicas. Essa é a definição oferecida pelo art. 3º inciso XII do decreto 7724/2012[1], que regulamenta a Lei de Acesso à Informação (LAI) no governo federal. Uma nota técnica é um documento de orientação para ajudar o gestor público a decidir sobre a publicação de um decreto ou implementação de uma política pública, por exemplo.

Como reverter negativas

O mesmo decreto que regulamenta a LAI prevê a possibilidade de negativa de acesso à informação quando consta de documento preparatório, porém, conforme o art. 20: “O acesso a documento preparatório ou informação nele contida, utilizados como fundamento de tomada de decisão ou de ato administrativo, será assegurado a partir da edição do ato ou decisão”. Isso significa que, se uma medida, decreto ou política pública já foram divulgados e estão em vigor, não há possibilidade de que o órgão deixe de fornecer informação por se tratar de documento preparatório.

No entanto, essa justificativa não pode ser usada sem o devido contexto. Durante a pandemia da Covid-19, foi negado até mesmo o acesso a atas de reuniões com esse argumento, conforme experiências da agência Fiquem Sabendo em pedidos recorrentes a comissões formadas durante a pandemia. Nesses casos, vale argumentar no recurso para que prevaleça o interesse público.

Ainda, "qualquer negativa que utilize o argumento de 'documento preparatório' precisa, no mínimo, demonstrar ao cidadão a existência de um ato decisório pontual e definido no tempo, a partir do qual a informação será tornada pública", conforme apontou a ONG Transparência Brasil[2], em março de 2020, após a Controladoria-Geral da União (CGU) ter mantido negativa de acesso a relatórios de monitoramento de redes sociais encomendados pela Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República (Secom), solicitados pelo jornal O Estado de S. Paulo com base na LAI[3]. A Secom alegou se tratar de “documentos preparatórios para tomada de decisão ou ato administrativo”, mas não demonstrou de que decisão se tratava nem qual o prazo de análise.

Modelos de recursos

Decisão tomada

Se a decisão já é pública e a medida, decreto ou política pública de seu interesse já está em vigor, mas o órgão negou seu pedido com base no argumento de que se trata de documento preparatório, você pode recorrer nestes termos:

Não se pode aceitar a justificativa de documento preparatório para negar acesso à informação solicitada, uma vez que a decisão já é de conhecimento público. O artigo 20 do decreto 7724/2012, que regulamenta a LAI, prevê que “O acesso a documento preparatório ou informação nele contida, utilizados como fundamento de tomada de decisão ou de ato administrativo, será assegurado a partir da edição do ato ou decisão”. Nesse sentido, pede-se que este recurso seja conhecido e provido para que a informação solicitada seja fornecida.

Discussão em andamento

Caso a política pública de seu interesse esteja ainda em discussão, você pode tentar um recurso nos seguintes termos:

Conforme o artigo 7º, § 3º da LAI, o direito de acesso aos documentos utilizados como fundamento da tomada de decisão será assegurado com a edição do ato decisório respectivo. Dessa forma, a negativa de acesso a “documento preparatório” precisa demonstrar a existência de um ato decisório em processo de formulação ou edição, e informar o prazo de conclusão do processo em questão, a partir do qual a informação será tornada pública. Cabe lembrar que a República Federativa do Brasil é subscritora da Parceria pelo Governo Aberto (Open Government Partnership). Dentre os preceitos da OGP se encontra justamente a consagração do princípio de que os cidadãos possuem direito de efetivamente participar da formulação de políticas públicas e não somente recebê-las “prontas e acabadas”. Documentos relacionados a uma política pública em processo de formulação são necessários para que o cidadão efetivamente possa participar e contribuir com o processo em questão. Salvo casos em que ofereçam risco à sociedade ou ao Estado, o interesse público deve prevalecer. Nesse sentido, pede-se que este recurso seja conhecido e provido para que a informação solicitada seja fornecida.

Veja também

Referências externas

Encontrou um erro ou sentiu falta de uma alguma informação neste verbete? Escreva para [email protected]

Usamos a licença “Atribuição 4.0 Internacional (CC BY 4.0)", que permite a republicação/adaptação, inclusive para fins comerciais, desde que seja citado o crédito para a WikiLAI, com link para a publicação original. Saiba mais em WikiLAI:Sobre
Apoie a Fiquem Sabendo em catarse.me/fiquemsabendo e receba recompensas, ou faça um PIX para 32.344.117/0001-89 (CNPJ)